Ministro defende que o controlo sobre a RTP deve ser entregue a uma entidade "genuinamente independente".

"Acho muito importante que o controlo sobre a empresa possa vir a estar nas mãos de uma entidade, que é percebida e entendida por todos como genuinamente independente. Isso permitirá não apenas afastar o risco de governamentalização como também permitir uma direção mais efetiva e uma prossecução mais efetiva dos objetivos de serviço público que a televisão tem", frisou. 

Em declarações aos jornalistas, à margem das comemorações do Dia do Município de Montemor-o-Velho, Poiares Maduro afirmou que a RTP "vive sob uma suspeita permanente de risco de governamentalização" e que essa suspeita afeta a imagem da empresa estatal de televisão. "E não apenas afeta a imagem da empresa e do serviço público para todos os portugueses mas afeta também depois, internamente, a capacidade de gestão efetiva. Porque essa gestão é sempre associada, eventualmente, a uma intromissão dos Governos", declarou Poiares Maduro.

"O que posso garantir, é que do meu ponto de vista, enquanto ministro, nem sequer nunca contactei nenhum diretor da RTP, nunca sugeri nem me intrometi em qualquer decisão de programação da RTP", adiantou o governante. "Mas esse risco, essa suspeita de risco de governamentalização existe em permanência sobre a RTP", frisou.

Questionado sobre o modelo que propõe para a televisão pública, disse apenas que "em breve" serão conhecidos os detalhes do que considerou como um "roteiro" para a RTP.

Fonte: Económico

Categorias:

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários