A proposta de a ZON e o MEO divulgarem as audiências dos canais que agregam nos seus pacotes, lançada pelo diretor da CMTV, Octávio Ribeiro, "faz todo o sentido", pois "seria uma validação extra dos dados da GfK", diz António Casanova, atual presidente da CAEM. Contactados, MEO e ZON recusam responder se estariam dispostos a divulgar os valores de que dispõem. No entanto, a empresa de tv por cabo liderada por Rodrigo Costa pronunciar-se-ia se a matéria fosse levada a reunião da CAEM.

António Casanova explica ainda que a ZON e o MEO produzem informação de audiência, mas para uso comercial esta precisaria dos valores da GfK, como "dados sociais, cortes etários e geográficos". Os números dos operadores "são coincidentes", diz ainda, "mas não se podem usar diretamente para fazer programação". Porém, o responsável não tem dúvida de que esta informação dá "conforto, para saber que o painel está a produzir bem". O presidente da CAEM considera também que os operadores podem fornecer os dados: "podem é não os querer disponibilizar, porque os tratam como segredo comercial".

Entretanto, a RTP e a TVI ficaram de entregar à CAEM "uma lista de pontos que querem ver verificados no painel da GfK". A empresa que mede as audiências, diz Casanova, "está disposta a aceitar qualquer decisão que a CAEM tome a partir da análise ao pedido dos canais".

Fonte: CM

Categorias: , , , ,

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários