Passou um ano desde que o novo sistema de medição de audiências entrou em funcionamento e nem por isso a polémica abrandou. Desde o início que a GfK é alvo de duras críticas, sobretudo por parte da RTP e da TVI, que apontam várias deficiências no sistema. Enquanto a estação pública tem vindo a perder telespectadores de uma forma generalizada, o canal da Media Capital viu a SIC ganhar público no horário nobre.

Após muitas críticas e com base em uma auditoria da PriceWaterhouseCoopers (PwC), iniciou-se a renovação do painel de audimetria, de forma a corrigir algumas irregularidades e atualizá-lo com base nos Censos de 2011. Findo este processo, a TVI e a RTP pediram que a PwC avaliasse as alterações efetuadas ao sistema da GfK, mas a CAEM – Comissão de Análise de Estudos de Meios, presidida por Luís Marques, administrador editorial do grupo Impresa (dona da SIC), recusou o pedido e validou o novo painel, o que levou a estação da Media Capital a impugnar a decisão e até ameaçar abandonar a entidade. Enquanto isso, Marktest e GfK medem, em simultâneo, as audiências televisivas em Portugal, sendo inevitável a comparação entre os resultados e, claro está, as guerras entre canais.

Os números falam por si e mostram que os noticiários da RTP 1 foram os mais prejudicados com a mudança do sistema. Entre 1 de março de 2012 (data em que arrancou oficialmente a audimetria da GfK) e 28 de fevereiro de 2013, o "Telejornal" apresentou uma média de 702 500 telespectadores diários, menos 256 700 do que no período anterior. Entre 1 de março de 2011 e 29 de fevereiro de 2012 tinha registado uma audiência média de 959 200 (dados Marktest). Já o "Jornal da Tarde" alcançou uma média de 477 400 telespectadores, o que significa que perdeu 144 600 entre os dois períodos em análise.

No que diz respeito aos canais privados, os resultados são positivos no domínio da informação. Na SIC, o "Jornal da Noite" ganhou 164 600 telespectadores. Segundo os dados da CAEM, o noticiário é visto por uma média de 1 065 200 pessoas. Já o "Primeiro Jornal" é seguido por 575 700 pessoas, mais 60 200 do que anteriormente. Na TVI, o "Jornal das 8" subiu de 918 300 para 1 099 200 telespectadores (mais 180 900), enquanto o "Jornal da Uma" ganhou 87 600 seguidores, sendo atualmente visto por uma média de 620 300 pessoas.

Nos programas da tarde, todos ficaram a ganhar. De 1 de março de 2011 a 29 de fevereiro de 2012, "Portugal no Coração" era visto por 213 600 pessoas. Desde que o sistema da GfK entrou em vigor, a audiência do programa, agora apresentado por José Carlos Malato e Marta Leite Castro, subiu para 245 900, ou seja, ganhou 32 300 telespectadores, tornando-se numa exceção no universo RTP. Na SIC, "Boa Tarde" também melhorou os seus resultados, com 258 800 pessoas a acompanharem diariamente o formato conduzido por Conceição Lino (mais 23 200). No período anterior, o programa registava 235 600 telespectadores. Contudo, "A Tarde é Sua", da TVI, foi o programa que mais ganhou. No espaço de um ano, o formato, apresentado por Fátima Lopes, conquistou perto de 90 mil novos seguidores, sendo atualmente visto por uma média de 336 400 pessoas.

O horário da manhã continua a colocar a RTP 1 em último lugar na preferência dos portugueses, com "Praça da Alegria" a perder 63 800 telespectadores. O espaço agora apresentado por João Baião e Tânia Ribas de Oliveira foi acompanhado diariamente por uma média de 172 900 pessoas, contra as 236 700 que o seguiam no período anterior. Já a SIC e a TVI ganharam audiências neste horário. "Querida Júlia" (SIC) conta com mais 22 300 seguidores (média de 210 400) e "Você na TV!" (TVI) ganhou 68 400 pessoas, sendo agora visto por 390 000.

Ao analisar as diferenças no share do total/dia (24 horas) de cada canal, é fácil perceber que a RTP 1 é a estação que mais perde. Dos 21% registados pela Marktest entre 1 de março de 2011 e 29 de fevereiro de 2012, a RTP 1 passou para 13,5% no período de 1 de março de 2012 a 28 de fevereiro de 2013, perdendo 7,5 pontos percentuais. Um saldo negativo bastante significativo quando comparado com a descida de 0,6 pontos da SIC (share diário de 22%) e 0,9 da TVI (24,6%).

A exceção vai para os canais do cabo, cujo consumo subiu 2,5 pontos percentuais – 25% de share. No horário nobre (das 20h às 24h), a SIC é a única a subir entre os generalistas, aproximando-se cada vez mais da concorrência, alcançando 25,9% de share, o que significa uma subida de 1,2 pontos percentuais. Já a TVI mantém a liderança, com 28,3% de quota no "prime time", apesar da queda de 0,9 pontos entre os dois períodos. Mais uma vez, a queda volta a ser mais acentuada na RTP 1, que perdeu 7,7 pontos (11,7% de share). O cabo volta a ganhar terreno, ao subir 1,3 pontos (21%).

Fonte: CM

Categorias: , , , ,

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários