A administração da RTP garantiu hoje à Antena 1 que a RTP 2 se manterá qualquer que seja o cenário futuro para a empresa, confirmando assim uma notícia do Diário Económico, que cita "fonte governamental".

De acordo com o jornal, "a RTP2 vai manter-se com uma programação idêntica à que tem hoje, sendo certo que o seu orçamento vai diminuir em 2013". Este cenário contraria o apresentado publicamente por António Borges, consultor do Governo para as privatizações, segundo o qual a RTP 2 seria encerrada e a RTP 1 concessionada a um privado, "com o respetivo contrato de serviço público e um cheque de cerca de 140 milhões de euros, correspondente à taxa do audiovisual que os portugueses pagam, mensalmente, na fatura da luz", como explica o Diário Económico. Apesar de citar "fonte governamental", o Diário Económico não conseguiu confirmar esta notícia junto do ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, que tutela a área da comunicação social. Ao jornal, uma "fonte do gabinete do ministro da tutela" assume, pelo contrário, que "ainda nada está decidido" sobre o cenário futuro para a RTP2. Ao Correio da Manhã, o gabinete de Relvas mantém a versão que "ainda nada está decidido".

O Governo comprometeu-se a tomar uma decisão sobre o futuro da empresa pública de rádio e televisão até ao final do primeiro trimestre de 2013. Este anúncio da manutenção da RTP 2, quer se opte pela privatização ou pela concessão da RTP 1, é uma das primeiras decisões da administração liderada por Alberto da Ponte, que tomou posse no passado mês de setembro.

Entretanto, para o orçamento de 2013, e enquanto não é tomada uma decisão definitiva sobre o resto dos canais de televisão e rádio da RTP, a indemnização compensatória à empresa deverá rondar os 52 milhões de euros, menos 42 por cento que no ano passado. A dotação financeira prevista para a RTP 2 no orçamento do próximo ano é apenas de três milhões de euros, uma redução de 80 por cento relativamente ao orçamento de 2012.

Nos últimos anos, o orçamento da RTP2 oscilou entre os 17 e os 21 milhões de euros. Segundo fontes ouvidas pelo Diário de Notícias no passado dia 16 de outubro, este corte anunciado no orçamento do segundo canal da televisão pública "não chega para as obrigações" e pode comprometer "seriamente" o contrato de concessão. A notícia do Diário Económico de hoje confirma os cortes no orçamento de 2013, mas diz que o canal vai "manter-se com uma programação idêntica".

Fonte: RTP

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários