Alberto da Ponte, antigo presidente da Sociedade Central de Cervejas, foi escolhido pelo Governo para substituir Guilherme Costa na presidência do conselho de administração da RTP. De acordo com a página da estação pública, a nova administração deverá ser oficializada no Conselho de Ministros de quinta-feira.

Luiana Nunes, vogal do conselho de administração, vai manter-se na equipa, à qual se junta, também como vogal, José Lopes de Araújo, da direção jurídica da RTP, avança ainda o sítio da estação pública de rádio e televisão. Marina Ramos, diretora de comunicação e marketing da RTP, disse não ter a confirmação oficial da composição do novo conselho de administração e remete mais esclarecimentos para o Governo.

Alberto da Ponte está atualmente na gestão internacional da Heineken, função que foi ocupar em abril deste ano, deixando a liderança da Sociedade Central de Cervejas (dona da Sagres), que pertence àquele grupo holandês. O escolhido para liderar a nova administração da RTP começou a carreira profissional em 1973 na Lever (hoje Unilever Jerónimo Martins), onde exerceu funções na área de vendas e marketing em Portugal, Malásia, Bélgica e Espanha. A escolha de Alberto da Ponte vem a público menos de uma semana depois da demissão do conselho de administração da RTP, que entrou em rota de colisão com o Governo por afirmar publicamente ter manifestado junto do executivo a sua discordância em relação ao cenário de uma concessão do grupo público de televisão e rádio a um privado.

Quando, em janeiro, o ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, que tutela a Comunicação Social, foi a Angola em visita oficial, a RTP 1 e a televisão angolana transmitiram um programa especial de debate sobre as relações atuais entre os dois países. No painel de convidados incluíram-se empresários, desportistas e artistas. Entre os portugueses estavam Alberto da Ponte, Zeinal Bava, presidente da PT, Fernando Gomes, da Federação Portuguesa de Futebol, a atleta Rosa Mota e o músico Rui Veloso.

Nessa altura, já era do conhecimento público que Alberto da Ponte iria deixar a presidência executiva da Central de Cervejas, na qual entrara em 2004, e passar para a Heineken. De partida para a Holanda, Alberto da Ponte daria uma entrevista ao jornal i, cerca de dois meses e meio mais tarde, a elogiar a equipa governamental – em particular o Secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, o ministro das Finanças, Vítor Gaspar, e a ministra da Agricultura, Assunção Cristas – e, de forma mais enfática, Pedro Passos Coelho."Temos, francamente, um excelente primeiro-ministro". E acrescentava: "Na minha opinião é talvez, depois de Sá Carneiro, o melhor primeiro-ministro que tivemos em Portugal. Digo-o sem dúvida nenhuma, porque é um homem que tem uns nervos de aço e uma capacidade de encaixe e uma frieza que são absolutamente extraordinárias".

Fonte: Público

Categorias:

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários