Rodrigo Costa lançou o projeto do MEO e é líder da ZON. Zeinal Bava pensou a estratégia da ZON e está à frente da PT e do MEO. O ódio de estimação remonta ao tempo em que trabalharam juntos.

A história de Rodrigo Costa e Zeinal Bava dava um bom filme para alugar na box. O primeiro definiu o projeto inicial do MEO e é líder da ZON. O segundo pensou a estratégia de conteúdos desportivos e de cinema da PT Multimédia, atual ZON, e está à frente do MEO. O enredo tinha todos os ingredientes para ter sucesso: subiram a pulso na carreira, nunca sonharam ser gestores e trocaram de "cadeiras" na PT. Rodrigo gostava de ter tirado o curso de geologia, Zeinal ambicionou ser médico. Um dia, os caminhos cruzaram-se na PT e a rivalidade tornou-se pública e notória em 2007, quando houve a cisão da companhia em duas empresas.

Rodrigo, que deixou a Microsoft de Bill Gates para entrar na administração da PT, encontrou pela frente Zeinal - o executivo que estudou num colégio interno e ganhou prestígio na banca britânica. Nos bastidores sabe-se que não têm grande apreço um pelo outro. "É difícil o Zeinal considerar que haja outro gestor tão bom como ele no setor das telecomunicações em Portugal. Já o Rodrigo pensa que o Zeinal é obcecado para atingir os objetivos", diz uma fonte conhecedora do sector das telecomunicações.

As personalidades também não encaixam. Zeinal é extrovertido e privilegia o contacto pessoal, enquanto Rodrigo opta por uma postura mais discreta. Um traço que ainda hoje os distingue quando se encontram. O atual presidente executivo da PT gosta de cumprimentar Rodrigo com um sorriso rasgado. Este, por sua vez, responde de forma mais tímida. "Eles cumprimentam-se sempre nos eventos ou quando se encontram com as famílias", acrescenta outra fonte do setor.

Fonte: Económico

Categorias: ,

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários