A RTP exigiu hoje à Comissão de Análise de Estudos de Meios a substituição do painel de audiências televisivas, depois de uma auditoria independente da PricewaterhouseCoopers ter concluído que os dados fornecidos ao mercado pela Gfk não são fiáveis.

"O painel tem de ser substituído porque não permite a extrapolação dos resultados. Não podemos continuar nesta situação de falta de credibilidade da medição de audiências. Não podemos continuar nesta situação pantanosa. É urgente encontrar uma solução", afirmou esta tarde em conferência de imprensa Guilherme Costa (na foto), presidente do conselho de administração da RTP.

No essencial, o relatório da consultora conclui que os resultados não são fiáveis porque são baseados numa amostra não probabilística, pelo que o painel não é representativo da população. Segundo avançou Guilherme Costa, a construção do painel foi baseado numa amostra por quotas. "Temos a autoridade moral que decorre do facto da auditoria nos dar razão", acrescentou o presidente da RTP.

Guilherme Costa adiantou ainda que irá dar um prazo aos "parceiros de mercado" (televisões, agências de meios e anunciantes) para encontrar uma solução que seja "comum a todos". Caso contrário, a RTP irá recorrer "a instâncias de regulação adequadas", em particular os tribunais. "Queremos uma solução para o problema e é urgente", sublinhou. O presidente da RTP não adiantou, no entanto, os valores estimados para os prejuízos que a RTP diz ter sofrido desde março, altura em que a Gfk passou a ser a empresa de medição de audiências, em substituição da Marktest.

Face ao painel da Marktest, a RTP 1 perdeu quota de audiências desde que a empresa alemã começou a fornecer os dados oficiais ao mercado, o que originou logo uma queixa dos responsáveis da empresa pública de televisão e rádio. Desde aí que a administração da empresa se queixa de não existir qualquer evolução favorável em relação à situação.

Fonte: Negócios

Categorias: ,

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários