A DECO criticou recentemente a entidade reguladora das comunicações, ANACOM, pela falta de alertas face às alterações nas frequências de Televisão Digital Terrestre (TDT), que obrigam os consumidores a pagar para mudar a sintonização das antenas. "A 18 de Maio último, a ANACOM viu-se forçada a atribuir à Portugal Telecom uma nova licença de seis meses: o sinal TDT será emitido em mais três intervalos de frequência, para sintonizar os quatro canais livres, difundidos pelos emissores de Monte da Virgem, da Lousã e de Montejunto", refere a organização de defesa dos consumidores em comunicado.

Contactado, o secretário-geral da DECO explicou que as alterações "fizeram com que fosse necessário religar emissores que já estavam desligados" e que "isso provoca uma situação perfeitamente desarranjada e desajustada porque vai fazer com que, em muitos sítios, haja necessidade de fazer uma nova orientação das antenas". A situação constitui não só um novo incómodo para as pessoas, sobretudo os mais idosos e no Interior do país, além de uma provável repetição de gastos "porque é preciso chamar de novo técnicos para restabelecer a qualidade do sinal", acrescentou Jorge Morgado.

"Isto tudo acontece porque a ANACOM não fez uma fiscalização eficaz e este processo não foi devidamente planificado e acompanhado", acusou. Por isso, defende o secretário-geral da DECO, "a ANACOM devia vir a terreiro explicar exatamente o que vai acontecer, para que os consumidores saibam qual é o problema e tomem as medidas adequadas".

Além disso, adiantou, "é fundamental que a ANACOM informe que não vai haver despesas a suportar pelas populações com esta situação". Para Jorge Morgado, é preciso pôr equipas de técnicos nos locais para ajudar as pessoas e, "se calhar, para melhorar a cobertura, é preciso um novo investimento". A passagem do sinal analógico de televisão para o sinal digital, com a adoção da TDT, tem provocado muitas queixas à DECO, disse o responsável.

Desde o apagão a 26 de abril, as reclamações no portal da entidade duplicaram. "A ANACOM, como entidade reguladora, tem de tomar medidas que permitam que todos os portugueses tenham a possibilidade de ter acesso aos quatro canais de televisão. E ter acesso é ter qualidade de sinal e durante todo o dia", concluiu.

Fonte: M&P

Categorias:

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários