O Conselho de Redação da RTP Açores denunciou esta semana ao Sindicato dos Jornalistas duas alegadas tentativas de condicionar o trabalho dos jornalistas da empresa, uma das quais envolve um membro do Governo dos Açores.

Este órgão representativo dos jornalistas da televisão açoriana acusou o secretário regional dos Equipamentos, José Contente, de "procurar condicionar" e de "interferir abusivamente" no trabalho da equipa de reportagem que fez a cobertura dos estragos provocados pelo mau tempo na zona da Bretanha, em S. Miguel, a 11 de maio. Segundo o Conselho de Redação, José Contente "tentou persuadir a equipa de reportagem a não enviar para Lisboa um bloco de imagens em bruto que incluíam um depoimento da presidente da Câmara de Ponta Delgada e procurou impor a sua presença em direto no Telejornal da RTP/Açores, depois de gorada uma intervenção no Telejornal da RTP 1, que não se realizou por Lisboa se ter desinteressado desse direto".

A situação é relatada num comunicado divulgado na sexta-feira, que ontem foi enviado ao Sindicato dos Jornalistas, juntamente com outro material relacionado com a situação, segundo revelou à Lusa fonte do Conselho de Redação. Segundo o comunicado, José Contente "em pleno direto, interrompeu de forma abrupta a intervenção da jornalista, agarrando-a pelo braço que segurava o microfone e falando de forma intempestiva para o mesmo sem sequer aparecer na imagem". "Inconcebível que, perante um cenário de catástrofe, alguém se preocupe apenas em aparecer na televisão e em evitar que outros apareçam", acrescenta o documento, frisando que os profissionais da RTP Açores "não se deixam influenciar nem se intimidam com qualquer tipo de ameaça mais ou menos velada".

Na resposta, José Contente considera as acusações "injustificadas", recorda que esteve no local várias horas e prestou declarações a vários órgãos de comunicação social e assegura que a jornalista da RTP Açores lhe propôs, depois de ter sido cancelado o direto na RTP 1, que "fizesse uma declaração para sair no Telejornal do dia seguinte, o que veio a acontecer". "São falsas as acusações do condicionamento do direto da RTP Açores, até porque, num cenário de acidentes iminentes, como foi o caso da queda da Estrada Regional no Pilar da Bretanha, entendeu-se dar informação ao público na hora, pelo perigo real da circulação automóvel", acrescentou José Contente, numa nota divulgada pelo gabinete de comunicação do Governo dos Açores.

No comunicado enviado ontem ao Sindicato dos Jornalistas, o Conselho de Redação da RTP Açores (TV) refere também uma situação ocorrida com o líder regional do CDS-PP, Artur Lima, que acusa de ter "caluniado de forma desabrida e vergonhosa os profissionais da RTP Açores, sugerindo que não eram isentos e que estavam ao serviço de alguns partidos". A situação ocorreu na Assembleia Legislativa Regional quando se discutia a situação na RTP Açores e Artur Lima terá acusado os jornalistas da RTP Açores que cobriam os trabalhos de falta de isenção por não terem dado voz a uma intervenção de um deputado do CDS-PP. O Conselho de Redação recorda que "é impossível relatar tudo o que se passa no parlamento", salientando que os jornalistas de serviço "deram prioridade ao que consideraram mais importante", nomeadamente a uma conferência de imprensa conjunta do PSD com o CDS-PP. Até ao momento, Artur Lima ainda não se pronunciou sobre o teor deste comunicado.

Fonte: Dinheiro Vivo

Categorias: ,

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários