No dia do desligamento do sinal analógico de televisão [26 de Abril], o grupo parlamentar do PS entregou uma proposta na Assembleia da República para alargar a oferta na TDT, a qual inclui a criação de um canal infantil, conforme previsto na lei. Mas deputados da maioria consideram que, face ao atual contexto económico, isso é insustentável.

"Se me disserem que há um défice de programação infantil, diria que sim. Agora, criar um canal? Não me parece", disse Francisca Almeida, do PSD. Opinião partilhada por Raúl de Almeida, CDS: "Que haja reforço de programação infantil estamos de acordo, mas a criação de um novo canal não parece sensato". Raúl de Almeida alerta ainda para o facto de que, para a alienação de um canal, a lei e o contrato de concessão de serviço público "serão reconfigurados".

O projeto de resolução propõe aumentar a oferta TDT com a " inclusão de canais como a RTP Informação e RTP Memória e a criação de um canal infanto-juvenil", explica Inês de Medeiros, do PS. E recorda ainda a possibilidade de aumentar a oferta na TDT até nove canais gratuitos, avançada pela ANACOM.

Entretanto, esta entidade registou, até às 15 horas de dia 27, cerca de 1150 telefonemas para a linha de apoio da TDT, da parte de pessoas que ficaram sem TV. O desligamento dos últimos emissores analógicos afetou 1,9 milhões de pessoas, cerca de 730 mil famílias, sendo que, aproximadamente 70% assinam um serviço de televisão paga.

Fonte: CM

Categorias:

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários