Entre os onze países que integram o Observatório Ibero-Americano da Ficção Televisiva (Obitel), Portugal é aquele que, em 2010, mais produziu ficção para horário nobre. A informação consta num estudo desenvolvido pelo Obitel que analisou os mercados de Portugal, Espanha, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México, Uruguai, Venezuela e Estados Unidos da América. De acordo com o mesmo, as horas dedicadas à ficção no prime time atingiram as 1071, numa tendência que já vinha a verificar-se desde 2008, e que deixa para trás a Colômbia (1060) e os Estados Unidos da América (910).

Em 2010, a Colômbia liderou a produção nacional de horas de ficção (1671), cabendo a Portugal a vice-liderança (1351) e ao Brasil o terceiro lugar (1288). No que se refere aos formatos, a telenovela continua a ser a produção mais popular na maioria dos países, com excepção de Espanha e Portugal que têm apostado mais nas séries e minisséries: Espanha lidera com 26 séries e 13 minisséries, contra 12 e 7, respectivamente, de Portugal. Colômbia com 20 títulos produzidos em 2010, Brasil, EUA e México, todos com 13 títulos, são os países do Obitel que mais produzem telenovelas.

Em Portugal, 90% dos títulos foram emitidos em canais privados, 70% pela TVI e 20% pela SIC. O canal público RTP 1 aparece na lista apenas uma vez com uma minissérie. As audiências médias por minuto - rating - registaram contudo uma diminuição face ao ano anterior: entre 2009 e 2010, o rating desceu quase 2% nos títulos de ficção nacional mais vistos. A TVI liderou em audiência: em 2010, a telenovela “Deixa que Te Leve” alcançou o primeiro lugar como o título mais visto em 2010, com 15,1% de audiência e 43,6% de share. Em segundo e terceiro lugar ficaram, respectivamente, “Espírito Indomável” e “Meu Amor”, todas emitidas pela estação de Queluz.

O projecto Obitel é coordenado em Portugal por Catarina Duff Burnay, da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, e Isabel Ferin Cunha, da Universidade de Coimbra.

Fonte: Marketeer

Categorias: , , ,

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários