O cenário macroeconómico levou a perdas de receitas com triple play e à anulação de assinaturas de canais Premium, como a Sport TV. Mas as acções não devem sofrer penalizações, porque já estão "muito fracas", acreditam os analistas.

A queda das receitas da ZON Multimédia, acima do esperado, está no centro das atenções dos analistas depois de a operadora ter apresentado resultados. O cenário macroeconómico de Portugal levou a que as pessoas cortassem no superficial. Os serviços que ligam televisão, telefone e Internet (triple play) foram penalizados, tal como os canais que exigem assinatura adicional.

“A desaceleração que a ZON registou ao nível da receita é maior do que a que esperávamos no início do ano e constitui uma preocupação”, escreve a Caixa BI, pela mão de Guido Varatojo dos Santos. As receitas no segundo trimestre foram de 211,5 milhões de euros no segundo trimestre de 2011, que ficaram 2,2% abaixo do período homólogo.

As receitas foram mais baixas devido à perda de receitas no triple play. E o futuro poderá não ser risonho neste segmento, na opinião da analista Alexandra Delgado, do Millenium Investment Bank. “Sem muito crescimento pela frente (base de clientes estável e uma elevada penetração de triple play), as receitas vão continuar sob pressão com os clientes a cortarem naquilo que é superficial, isto é, nos canais Premium”, considera.

"Com uma penetração de triple play já nos 60%, o crescimento torna-se difícil no futuro", sintetiza Bosco Ojeda, do UBS. Aliás, este banco de investimento é mesmo o mais pessimista, intitulando a sua nota de "research" referente à ZON como "maus resultados".

O BPI acredita que as fraquezas apontadas pelos analistas dão margem para que as suas estimativas para o ano, tal como as estimativas dos restantes analistas, sejam revistas em baixa.

Contudo, não se deverá sentir uma penalização no preço da acção, na opinião de Pedro Pinto Oliveira, do BPI. Este custo antecipou-se aos resultados e está já “muito fraco”. Já o UBS acredita que a tendência de subida não é certa. "A acção está barata, apenas se a consolidação do mercado das telecomunicações portuguesas tiver lugar", escreve Bosco Ojeda.

Fonte: Negócios

Categorias:

5 comentários:

  1. Se Baixarem bem os Preços e Meterem mais Canais em HD por Satélite, Não Havia esta Preocupação das Receitas...

    ResponderEliminar
  2. Ou, dando continuidade ao raciocínio do Scholes, com o qual concordo, se estendessem os serviços triple play por cabo a outras zona do país. Em Santa Comba Dão, que não é fim de mundo, resta-nos a alternativa do satélite (o sempre "parente pobre" Zon ou Meo)

    ResponderEliminar
  3. Aí está a Sua Razão.
    Só Resta Esperar se para 2014 a ZON é Mesmo Lider em Cnais em HD e 3D ? Ou se não Qual o Verdadeiro Pacote em Portugal é o Melhor por Satélite ???

    ResponderEliminar
  4. A Zon está a perder lucros?? Bem feito!! Acabem com a bodega do Iris e com a porcaria das ideias parvas (tv sem box!!) e comprem os canais que as pessoas querem!! Ninguém adere a uma operadora para brincar ao Iris ou aos widgets inúteis!! Isso vem por acréscimo e a Zon está a inverter as prioridades!

    ResponderEliminar
  5. Vejam, também , esta noticia que tem a ver com o 5 canais de clubes de futebol que são (ou por enquanto, exclusivo da Meo.
    Será uma pena estragarem espaço nestes canais, mas serão bem vindos.

    "Ainda se encontram mais 5 serviços denominados de “Teste” que em alguns receptores aparece a informação de Canais dos 5 clubes de Futebol que até agora eram exclusivos da MEO (Inter, Real, Barça, Chelsea e Manchester)."
    in http://joecurtisat.net/?p=4818

    ResponderEliminar

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários