O primeiro canal de televisão português dedicado à cultura e criatividade, estreia na segunda-feira na posição 180 da grelha da ZON, com seis horas diárias de programação.

A empresa OSTV, sedeada no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, venceu em 2010 o Prémio Nacional das Indústrias Criativas Unicer/Serralves, precisamente com o projecto de lançamento do primeiro canal de televisão colaborativo e interactivo na área da cultura.

Pensado numa lógica low cost, o canal 180 tem uma equipa de dez pessoas, nenhum estúdio, câmara de filmar ou apresentador, e é um projecto de televisão independente, com um modelo inspirado em princípios de colaboração e co-produção. O seu objectivo passa por oferecer uma cobertura mais ampla e representativa da produção artística actual, do cinema à música, passando pela arquitectura, fotografia, arte contemporânea, design, jornalismo, animação, pintura, graffiti, etc. 

"Mais do que produzir uma grande quantidade de conteúdos, queremos procurar, encontrar e atrair conteúdos, criando um contexto qualitativo interessante. Temos uma equipa muito concentrada em criar uma boa experiência de conteúdos mais do que produzir", esclareceu João Vasconcelos, fundador e director-geral da OSTV. O responsável considera que "não é a captação e produção de novos conteúdos que faz falta". A necessidade, diz, "é mais a forma" como se agrega, comunica e quais as horas de programação desses conteúdos. A motivação da empresa é mostrar conteúdos culturais "que não se conseguem encontrar na televisão", acrescenta João Vasconcelos.

Quando for para o ar, na segunda-feira a partir das 20:00, o "180" terá também disponível um sítio na internet, Facebook, Youtube, e uma app para iPad e iPhone. A programação do canal, prolonga-se todos os dias até às 02:00, incluindo videoclips, um magazine cultural e um destaque diário (que pode ser um documentário ou um concerto, por exemplo).

O magazine "vive muito da colaboração com as instituições" culturais, o que "permite grandes poupanças", refere João Vasconcelos. "Depois, temos os destaques diários, sobretudo no formato documentário. Alguns são adquiridos, outros fruto de colaboração com artistas ou com marcas comerciais", acrescenta, explicando que o canal se paga "com publicidade". Os documentários "Rip: Remix Manifesto", "Lusofonia a (R)Evolução", "Uma na Bravo outra na Ditadura", "12 Histórias sobre John Zorn", "Inside Outside" e "We ar moving in" são alguns dos destaques para a primeira semana de programação, dedicada ao tema "Revolução".

O público-alvo do canal tem entre 18 e 35 anos, das classes A, B e C1, e são pessoas "informadas e qualificadas, culturalmente activas, viajantes, artistas, criadores, cinéfilos, melómanos e apreciadores de arte", revelou João Vasconcelos.

Com: Briefing/Lusa e OSTV 

Categorias: , ,

6 comentários:

  1. Mais uma novidade para Maio !!!
    Hollywood Hd na Zon e Meo

    http://www.destak.pt/artigo/93278-canal-hollywood-chega-dia-1-em-hd

    ResponderEliminar
  2. Por Satélite, Sabes Alguma coisa ???

    ResponderEliminar
  3. Caro Bruno, muito obrigado pela informação.

    Caro Scholes, até momento a presença no serviço de satélite não é conhecida, contudo, a adição do canal à grelha de DTH, não deverá acontecer, dado o perfil do canal, o seu público-alvo e ter apenas 6 horas diárias de programação.

    ResponderEliminar
  4. Já está informação no "CANAL 180" na ZON que vai começar a 25 de Abril!!

    ResponderEliminar
  5. Caro Scholes, o canal 180, não fará realmente parte do serviço satélite da ZON, segundo informação hoje veiculada pela TELESatélite.

    ResponderEliminar
  6. Mas que bela notícia me estão a dar!Para a Zon Satélite só o que tem vindo é os aumentos anuais na factura!Mas ao fim de Abril vou mandá-los passear!Acabou-se!Então os Snrs. da ZON ainda não sabem que existe o satélite HISPASAT 1E?Estão muito distraidos!....

    ResponderEliminar

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários