O novo serviço Iris, já disponível para comercialização, tem por base uma total renovação da arquitectura, do software e até do hardware usados para levar o serviço a casa dos clientes. Podendo 97% dos clientes da Zon já solicitar acessos que suportam o Iris (actualmente são 100 mil os clientes ZON Fibra). Luís Lopes, administrador da Zon, informou durante a conferência de imprensa que, dentro de semanas, "o Iris também vai estar disponível para o PC e tablets".

Durante a apresentação, a Zon lembrou que, do ponto de vista tecnológico, a interface tem várias semelhanças com a arquitectura de um site.A experiência do utilizador confirma esta descrição: a interface da Iris é bastante mais simples e intuitiva que a usada pelas ZonBoxes que já se encontram no mercado.
O serviço distingue-se por ter um menu horizontal que pode ser activado a qualquer momento, com um único clique no comando, sem impedir o visionamento do programa ou do vídeo que está a passar (as imagens ficam em background).
No menu principal, o utilizador pode aceder ao Videoclube, destaques, opções de configuração, portal, entre outras alternativas.

Entre as novidades que ajudam a simplificar o uso do televisor no quotidiano destaca-se o acesso directo a todas funcionalidades possíveis sempre que é seleccionado um conteúdo (gravação, agendamento de séries inteiras, arquivo de conteúdos gravados, sugestões de programas similares, ou reinício do programa).

No campo dos aperfeiçoamentos, há ainda a registar a inclusão da funcionalidade de pesquisas nos vários sub-menus que permite fazer buscas por temas ou a la Google, com a apresentação dos resultados à medida que são inseridos caracteres. De realçar ainda que as pesquisas da Iris têm capacidade de aprender com as preferências dos utilizadores ao longo do tempo.

Além do software, a Zon apostou no desenvolvimento de um comando que, ao contrário do que é habitual nos serviços de TV de nova geração, tem poucos botões. "Queríamos criar um comando que não exija que a pessoa olhe para ele para escolher as funcionalidades que aparecem no ecrã" frisou Nuno Sanches, director do Produto TV.

A nova interface foi desenvolvida pela Zon em parceria com a NDS. A solução é baseada em Linux.

O serviço está restringido aos subscritores de fibra, mas não implica qualquer valor adicional pela box (quanto muito poderá ser necessário mudar de tarifário).A Zon está a disponibilizar a box preconfigurada. O que significa que um cliente de fibra pode solicitar a box e o serviço da Iris numa loja da Zon e proceder à instalação pelas suas próprias mãos.

É possível usar uma segunda box da Zon em casa. Nestes casos, o utilizador tem duas opções: se tiver uma Powerbox pode usá-la como segunda box (a Zon refere que não é possível fazê-lo com uma Zonbox), ou então, solicita um segunda box da Iris (que implica um acréscimo de 5,5 euros na mensalidade).

O novo serviço está disponível a partir dos 49,99 euros mensais com velocidades de 30 Mbps, e tem como custo máximo mensal os 139,99 euros para quem optar pela modalidade de 360 Mbps.

Fonte: Exame Informática

Categorias: ,

Sem comentários:

MEO
NOS
TDT
Comentários
Comentários